quarta-feira, 18 de maio de 2011

Blogagem coletiva: Amamentação: as delícias e as Dificuldades!

selinho_aplic
Bom dia mamães e papais!!!
Hojé é dia de Blogagem coletiva proposta pela Ananda, mãe do Vitor.
Vou falar das minhas experiências e espero poder ajudar um pouco.
Meus filhos mamaram o quanto quiseram durante os tres primeiros meses. A Livre Demanda nesse período estava valendo. Mas foi dificil porque nas duas experiências meus seios racharam, era tanta dor que eu queria atrasar um pouquinho a hora da mamada.
Eu passava apenas o próprio leite no bico do peito. E quando a Cecília ia pegar era aquele sofrimento. Meninas eu chorava de dor e rezava pra acabar logo.
Com a Cecília as mamadas da noite seguiram um padrão diferente. Ela acordava de duas a trez vezes por noite pra mamar. Ela mamava, eu esperava arrotar e a colocava no berço ou carrinho. Lindo!!!! Aí ela acordava e não queria dormir!! Então, cama compartilhada desde muito cedo. Foi aí que comecei a colocá-la para mamar deitadinha do meu lado. Eu deitava de lado e ela mamava até dormir (não me matem!!).
A partir daí nada de levantar de madrugada e blá blá blá!!! era direto pra cama da mamãe e assim foi por bastabte tempo. O Antonio ficou entre 10 e 15 dias na experiência mama – arriota – dorme.
Como ele era tranquilo como a Cecília, desde bem cedinho ele passou a compartilhar a caminha!! Da mamãe claro!!
E a Cecília com 1 ano e 9 meses passou o dormir na caminha dela. Ela com 5 meses e meio deixou de mamar no peito. Eu fiz uma minicirurgia e comecei a tomar antibióticos bem fortes. Aí me falavam: o remédio vai passar pra ela através do leite.
Bem, se é verdade ou não, não sei, mas acreditei e parei de amamentar!! Ela se adaptou bem a mamadeira e passou a dormir a noite toda!!
Como eu já tinha voltado a trabalhar quamdo ela estava com 5 meses foi muito bom, pois passei a dormir a noite toda também. 
mamar
Com o Antonio foi diferente, pois antes dele completar 5 meses eu troquei de emprego. Então eu voltei a trabalhar 20 dias antes do previsto. Passei a amanetá-lo apenas pela manhã e a noite quando voltava do trabalho. Com 9 meses ele largou o peito.
Eu sinto saudade da cumplicidade que o momento me trazia com meus filhos e também de quando o peito resolvia todos os problemas!!!!
Algumas dicas que encontrei AQUi e achei legal:
Vantagens para o Bebê:
  • Tem água em quantidade suficiente, mesmo em clima quente e seco; portanto, o bebê que apenas mama no seio não precisa de água;
  • Contém proteína e gordura mais adequadas para a criança;
  • Possui vitaminas em quantidade suficiente, não há necessidade de suplementos vitamínicos;
  • É de fácil digestibilidade, sendo portanto mais facilmente absorvido pelo bebê o qual mama com maior frequência do que aquele que toma mamadeira;
  • Aumenta o laço afetivo mãe-filho, fazendo o bebê sentir-se amado e seguro: crianças que mamam no peito tendem a ser mais tranquilas e mais fáceis de socializar-se durante a infância;
  • Facilita a liberação de mecônio (as primeiras fezes do bebê), diminuindo o risco de icterícia e protegendo contra obstipação (prisão de ventre);
  • Promove o crescimento, no intestino da criança, de micro-organismos (lactobacillus) que fermentam seu açúcar  (lactose) tornando as fezes mais frequentes e menos consistentes, pricipalmente nas duas primeiras semanas de vida. Esses microrganismos impedem que outras bactérias se instalem e causem diarréia;
  • Contém endorfina, substância química que ajuda a suprimir a dor;
  • Crianças que tomam mamadeira têm maior risco de obesidade na vida adulta;
  • Protege o bebê de infecções (especialmente diarreias e pneumonias);
  • Possui anticorpos, leucócitos e outros fatores anti-infecciosos, que protegem contra a maioria das bactérias e de vírus. Portanto, crianças que mamam no peito têm risco 11 vezes menor de morrer por diarreia e 4 vezes menor de morrer por pneumonia do que os bebês alimentados com leite de vaca ou com artificiais;
  • Nos bebês, o ato de sugar o seio é importante para o desenvolvimento da mandíbula, da dentição e dos músculos da face, contribuindo também para outros benefícios, como o bom desenvolvimento da fala.
Vantagens para a mamãe:
  • Diminui o tempo de sangramento pós-parto e faz o útero voltar rapidamente ao tamanho normal;
  • Quando a criança suga, a hipófise posterior materna é estimulada a produzir um hormônio (ocitocina) que contrai o útero, diminuindo o sangramento e favorecendo sua volta, rapidamente, ao volume normal;
  • Ajuda a mãe a voltar ligeiramente ao peso pré-gestacional;
  • Durante o último trimestre da gestação a mulher acumula energia sob a forma de gordura para cobrir os gastos calóricos com a amamentação. Calcula-se que quem amamenta exclusivamente gasta 704  calorias ao dia. Portanto, a amamentação ajuda a mãe a recuperar sua antiga forma, pois gasta as calorias acumuladas;
  • Pode reduzir a chance de cânceres de ovário e de mama.Estudos demonstraram que essa ideia é verdadeira;
  • É mais fácil e prático para a mãe:
  • Está sempre pronto e na temperatura certa. Não se erra no preparo e nem há risco de contaminação. Tampouco necessita de utilização de recursos domésticos para sua aquisição;
  • Aumenta o vínculo afetivo mãe-filho:
  • Estudos têm demonstrado que o contato do bebê com peito e o estímulo da amamentação na primeira hora após o parto, favorece o êxito da amamentação, prolongando o seu tempo e diminuindo o risco de abandono de crianças.
Vantagens para a família:
  • A amamentação é mais econômica para a família. No Brasil, um bebê pode custar metade de um salário-mínimo por mês (incluindo mamadeiras, bicos, leites infantis, complemento, gás, remédios etc.);
  • Como os bebês amamentados adoecem menos, os pais têm menos problemas cuidando de crianças doentes, isso significa mais tempo para toda a família;
  • Melhora a qualidade de vida das crianças e de toda a família.
    Sem contar as vantagens ecológicas, pela questão das mamadeiras, bicos, que são feitas de vidro, plástico, silicone...
Por isso mães, amamentem. Façam uso da Livre Demanda pois nossos filhos merecem!!!

11 comentários:

Roberta Fraga disse...

Eu sofri um bocado para amamentar a Clarice no começo. Tive mastite. Foi doloroso, mas depois engatou. Ela desmamou entre os 8 e 9 meses. Sempre amamentei sentada, mas uma vez eu fui fazer um exame para apurar a audição e a fonoaudióloga disse que existe um canal que liga garganta e ouvido qdo os bebês são novinhos (algo assim) e dar o mamar com eles deitados por levar leite por esse canal. Aí, falamos em coro: "é por isso que muitos sentem dor de ouvido". Nunca imaginei isso antes. Mas a Clarice era bem disciplinada na hora das mamadas! E desmamou super fácil tbm. Mas sofri um bocado.
Abraços,

Marcia Pergameni disse...

É verdade amiga!!!! Eu, uma @maedemerda com o Antonio e até mesmo com a Cecília já sabia disso. Pois vi uma reportagem sobre este assunto qdo estava de licença. se o leite escorre pelo canal é um Deus nos acuda!! Graças a Deus tudo sempre ficou bem!!! Mas foi mesmo um risco!!
Bjus

Natascha Fernandes disse...

Meninas, não conhecia esse risco da dor de ouvido, eu tbm posso me dizer uma mãe bem relaxada a esse ponto, o meu baby era bem disciplinado quando bebê (só quando bebê), como logo que ganhei o Luiz ficamos na casa da minha mãe e lá ele dormia na cama comigo e o meu marido, nas ele sempre mamou deitado durante a noite, como o parto tinha sido cesariana era difícil sentar para amamentar, nunca encontrava posição, sem falar no incomodo de levantar e etc. O Luiz desmamou cedo por dois motivos creio eu, tive ferimentos serissímos nos seios, sangravam o tempo todo e mesmo assim os davam chorando mais tinha que ser assim, nenhuma pomada resolvia o problemas 100%, pra ajudar eu ñ tinha bico ele sugava pouco então mamava o tempo todo e quando ele estava chegando aos 4 meses comecei a introduzi a mamadeira, principalmente por causa que eu voltaria a trabalhar em um mês e estava preocupada com a possibilidade dele rejeitar e sentir muita falta do peito, mais foi um sucesso, com 4 meses ele já segurava a mamadeira sozinho, o engraçado que com o passar do tempo ele foi perdendo o habito de arrotar, e lógico preferiu a mamadeira era mais satisfatório pra ele porque era menos cansativo porque ele se saciava logo, hoje estou querendo que ele largue, mais está tão mal acostumado (ele e eu) que está meio difícil.

Marcia Pergameni disse...

Oi Nat!!! esse negócio do canal que liga ouvido e garganta é mesmo sério. vou pesquisar mais a fundo e colocar no blog, talves outras maes tb não saibam né!! Eu tb não tinha bico qdo a Cecília nasceum ele é invertido. Nossa, foi um sofrimento. Eu fiquei usando aquele tira leite pra tentar fazer o bico, era um sofrimento mesmo. Nos primeiros dias demorava 1h30min pra tirar de 30 a 50 ml que ela mamava em 3 sg!!
Com o Antonio, apesar de também ter ficado com o bico ferido, ele já não estava invertido em definitivo, era só puxar que ele vinha pra fora!!!
E parei de usar o tira leite pra deixar o leite armazenado quando tinha que ir na rua, demorava mais quando tirava direto com a mão. parecia uma vaca!!!
BJus

Janete disse...

Amamentação pra mim é um assunto muito triste, evito ao máximo. Não consegui amamentar o meu bebê, meus seios racharam, e no banho chegavam a sair pequenos pedaços, a dor era insuportável, sem contar que eu tinha pouquíssimo leite, na fase da amamentação, tive uma leve depressão e o fato de sentir dor, agarvou ainda mais o meu estado, eu chorava, gritava, e meu leite saía só um pouquinho, meu filho chorava de fome... Foi horrível eu me sentia a pior mãe do mundo, aí comecei a dar mamadeira, meu filho mamou no peito só 2 meses.Isso me afligiu durante muito tempo...Hoje sei que existem vários recursos, como um sorinho que se pinga no nariz e faz o leite descer com mais facilidade, massagens que devem ser feitas ainda na gravidez, pra estimular a formação do bico, (que aliás não tenho até hoje), o importante é que meu filho está bem, saudável. Mas confesso que é algo que se eu pudesse mudaria com certeza. BJ

Marcia Pergameni disse...

Oi Janete!!!!! Não fique assim triste não, a experiencia de amamentar é única pra cada mulher. Nunca é somente flor. O importante é que vc tentou e seu filho pode criar este vínculo com vc, ao menos por uns meses. Falar as vezes é melhor que calar, pois adquirimos experiencias com os outros depoimentos!! Bjus

Ananda Etges disse...

Tem vezes que estou muito cansada e também não resisto: amamento deitada, com ele na minha cama. Mas depois passo ele para o carrinho, pois tenho medo de me virar em cima dele durante a noite!

Ótimo post :)

Beijos, Ananda.

http://projetodemae.wordpress.com/

Fanny Barbosa disse...

Não tive rachaduras, e nem problemas com o seios, minha unica dificuldade foi o babyblues, q atrapalou um pouco o processo!

Elaina disse...

Eu não tive rachaduras, mas meu peito doeu muito com meus dois filhos. Mas como não ia voltar a trabalhar consegui aguentar firme e manter a amamentação exclusiva por 6 meses, mas acho que se precisasse voltar a trabalhar tb não teria aguentado.

Bjos

Elaina #amigacomenta
http://www.vidademae.net/

Ateliê Ana Bananna disse...

Adorei esse post não tinha visto.

Ai amamentar é tudo de bom mesmo, pena que meu pequenino não quer mais... RS.

Beijos.

Fabi Borges disse...

Bom, amamentei meus dedos pimpolhos. O Gui mamou até 2 anos e 5 meses. Depois trocou por chás da parmalat. Nâo pegou leite até os 12 anos de idade. Era maravilhoso... Aonde estava falava: quero mamar!!! Lindo de morrer, eu trocava tudo e qualquer coisa ou pessoas para amamentá-lo. Não tive coisa melhor. Ai veio a Ni. Qué mamazão kkkkk. Mamou até..... 5 anos e 9 meses. Linda.... Achou que já era moça e resolveu que nao ia mamar.... O leite já não fazia efeitos esperados.... mas só de estar com ela no colo e ter essa troca maravilhosa que só as mães entendem, foi maravilhoso. Aconselho a todas a amamentarem eternamente. Tive rachaduras no seio e no hospital colocavam casca de banana. Terrivel.... mas valeu a pena. TUDO!!!!