sexta-feira, 17 de junho de 2011

Seu filho também sofre com os mosquitos?

E aí mamães?? Seus filhos também sofrem com as mordidas de mosquito??? 
A Cecília deve ter sangue de mel, deve ser isso, porque hoje, quase completando 3 anos, ela tem umas marcas nas pernas que ficaram após inúmeras mordidas, que mais parecem relóginhos. Muitas.....

Então que já usamos alguns repelentes famosos e nenhum deu jeito. Eles sempre estavam lá marcando presença. E com o Antonio não é diferente. As vezes surge uma bolota vermelha no meio daquele pele branca. Pode saber, o safado passou por ali.

E quando eu vejo o mosquito mordendo, num momento de desespero tento matar o bicho??? Não mato, dou um tapa na cria e ainda acordo qdo ele está dormindo...aff...

Um tempo atrás fomos a uma Dermato, péssima por sinal. Passou um creme para as pernas da Cecília. Não por conta dos mosquitos, mas porque a perninha dela tem dois tons de pele, uma mais escura e uma mais clara.

Ela disse que o Fisiogel resolveria isso. Mas o mosquito? E a mordida?? Necas...
Ah, e o Fisiogel custa a bagatela de R$ 80,00 um frasco com 30mnl.
Rá!

Preciso falar que nunca mais voltei lá? 
Depois de ler algumas coisas a respeito e ver que as manchas persistiam, decidi procurar outra Dermato. Agora mais confiável, indicada pela Pediatra das crianças.
E eu fiquei mais aliviada.
Ela passou um creme para após o banho e um repelente, ambos manipulados.
Preciso falar que fiquei bem mais tranquila???

Estamos ainda na primeira quinzena de tratamento, mas assim que o bendito morde eu vouo lá, passo a pomada da farmácia (Therasona). Apenas pra não dar a coceira que termina inflamando tudo.

Olha o que encontrei:

"Meu filho está cheio de picadas de algum tipo de inseto. Devo me preocupar? 

É comum as crianças serem alvo de mordidas de insetos, embora seja uma chateação. Os mais comuns são os pernilongos, borrachudos, pulgas e formigas. Algumas picadas são piores que outras, como as de vespas, marimbondos e abelhas. Elas doem mais e demoram mais para sarar.

Também não é raro que as crianças apresentem algum tipo de reação alérgica às picadas. Nas reações menos graves, o que acontece é que surgem novas "picadas" pelo corpo, mesmo em lugares onde o inseto não atacou, e elas podem ficar vermelhas, inchadas e coçando bastante.

Essas "novas picadas" têm um nome técnico bem estranho, estrófulo, e o fenômeno é muito frequente nos primeiros três anos de idade. Essa é a explicação para as "picadas" às vezes aparecerem em lugares muito esquisitos do corpo, ou sempre no mesmo local. 

Como tratar uma picada comum 

Para aliviar a coceira da picada, você pode fazer o seguinte: 


• Compressas frias, de gelo ou com um pano molhado com água gelada, aliviam a coceira e reduzem o inchaço. 


• Se surgir alguma bolha no local (coisa que acontece às vezes com picadas de formiga), não a estoure. 


• Você pode passar pomadas especiais no local para aliviar a dor, a irritação e a coceira. Há cremes que também evitam infecção, no caso de a criança coçar muito a área e criar uma ferida. O ideal é, nas consultas de rotina com o pediatra, já perguntar qual é o creme ideal para ter na farmacinha de casa e levá-lo em viagens e passeios. 


Não aplique cremes e pomadas que contenham cânfora em crianças de menos de 2 anos. E nunca use cremes ou pomadas antialérgicas sem indicação médica, porque alguns desses produtos podem desencadear reações locais graves, especialmente quando há exposição ao sol. 


• Se as picadas estiverem muito inchadas e coçando demais, um anti-histamínico por via oral pode aliviar o desconforto. Mas só dê remédios a que já esteja acostumada e que tenham sido receitados pelo pediatra. 


Cuidado, porque certas pomadas para aliviar a coceira podem arder se a pele estiver ferida. 


• Mantenha as unhas da criança bem curtas para ela não se arranhar muito, e tente evitar que ela coce demais as picadas, mantendo-as cobertas por roupas, por exemplo. 

O que faço para meu filho não ser "comido" pelos mosquitos? 

A maioria dos repelentes comerciais é eficaz para afastar os mosquitos, mas consulte o pediatra primeiro, porque eles só podem ser usados a partir de 6 meses. Inseticidas ligados à eletricidade podem ser uma boa opção, mas existe a possibilidade de causarem alergias, principalmente respiratórias, por isso é bom falar antes com o pediatra.

O uso de sapatos, calça e blusa de manga comprida em regiões muito infestadas também ajuda a prevenir as picadas. Se você tem animais de estimação, use produtos específicos para eliminar as pulgas.

Procure vestir a criança com roupas claras. Leia mais sobre o uso de repelentes em crianças pequenas. 

A picada virou uma ferida. Será que está infeccionada? 

A picada pode infeccionar se uma bactéria entrar no local, na hora da mordida ou depois, em decorrência de arranhões quando a criança se coça. É o chamadoimpetigo.

Pode haver febre ou um inchaço que vai aumentando na área da picada. Ou então pode se formar uma casquinha que se parece com mel ressecado. A infecção pode ser tratada com antibióticos por via oral ou de uso tópico (pomadas), conforme recomendação médica. 

Saiba como agir em caso de reação alérgica grave 

Em casos raros, pode haver uma grave reação alérgica a picadas de determinados tipos de insetos, como abelhas, vespas ou até formigas. É a chamada reação anafilática, que pode até ser fatal. Conheça os sinais de alerta e, se seu filho apresentar qualquer um deles, leve-o imediatamente ao hospital ou peça socorro médico:

• chiadeira no peito

• lábios, língua e interior da boca inchados. O inchaço da garganta pode dificultar a respiração

• coração acelerado

• pele fria e úmida

• desmaio

• enjoo e vômitos

Enquanto não recebe atendimento médico, mantenha a criança deitada com a parte do corpo que foi picada abaixo do nível do coração, se possível, e com o pescoço levemente estendido para facilitar a passagem de ar. Enrole-a num cobertor e tente fazer com que ela fique calma.

Quando a criança é sabidamente alérgica a insetos como abelhas e vespas, com alto risco de choque anafilático ou obstrução respiratória, existem atualmente aplicadores de adrenalina em forma de "caneta".

É um dispositivo simples que deve ser carregado sempre com a criança. A aplicação imediata pela própria criança ou pelo responsável pode salvar vidas. Consulte seu pediatra ou alergista. "

Fonte: Babycenter

Eles tem essa tabela que achei interessante também:

Como decidir que tipo de repelente ou inseticida usar? 

Isso vai depender da sua necessidade e da idade da criança. Consulte a tabela abaixo:
Tipo de repelente/inseticidaPrósContrasPrecauções
Loções, cremes e sprays para o corpoEficazes em ambientes fechadosPodem causar reação alérgica se usados em bebês.Só compre produtos de marcas conhecidas e que especifiquem a composição química. Consulte o pediatra antes de usar essas loções em bebês de menos de 6 meses.
Aparelhos de tomada em líquido ou pastilhaEficazes em ambiente fechadoLiberam o inseticida pelo calorO mais seguro é usar em outros cômodos da casa que não o quarto do bebê. Se o problema de mosquitos for difícil de controlar na sua casa, consulte o pediatra para ver se ele libera o aparelho no quarto.
SpraysEficazes em ambiente fechados e em áreas limitadas ao ar livreSubstâncias nocivas podem ser inaladasPode causar alergias e problemas respiratórios
EspiraisEficazes em ambientes abertos, em uma área limitadaOs espirais emitem fumaça quando queimadosPodem causar alergia e problemas respiratórios
Telas e redes mosquiteirasEficazes desde que bem usadasSe ficarem abertas podem permitir a entrada de mosquitosApesar de estarem meio fora de moda, os mosquiteiros são uma boa opção para bebês pequenos. Só verifique se não há mosquitos dentrodele, e lave-o com frequência para não acumular pó
Óleo essencial de citronelaEficaz na aplicação diretaPode causar reação alérgica e o efeito não é muito duradouroÓleos essenciais são muito fortes e não devem ser usados diretamente na pele de bebês e crianças pequenas.
Mais AQUI.
E você mamãe, o que faz quando seu filho é mordido??
bjus

5 comentários:

lindos mimos disse...

Oi miga, sempre entro no seu blog nos dois por sinal rsrs, tava dando uma passadinha por aqui e vi, esse blog começou tem pouco tempo né amiga e ja tem tanta coisa ai, fico feliz por vc, parabéns. ahhh e para os mosquitos que rondam lá em casa eu so faço lamentar né amiga, a noite passo repelente coisa que nao funciona muito pq nao fica muito tempo na pele, hoje esta calmo pq onde eu moro é muito dificil aparecer mosquito afinal de contas moro no 24 andar né rsrs, mais ja passei noites em claro cuidando para os mosquitos nao judiarem do meu filhote, um grande beijo e ate mais!!!

Ateliê Ana Bananna disse...

Adorei esse post.

Meu filho não pode tomar nenhuma picada que já dá o maior problemas, chega a infeccionar, ele é muito alérgico.

Adorei as dicas e falo mais uma.

Receita de repelente natural:

Óleo de amêndoas e gotas de citronela.

Costumo pingar mais ou menos umas 15 gotinhas no vidro de óleo, além de hidratar a pele para o verão, ainda protege.

Beijos e amo esse blog.

michele andrade disse...

Ótimo post, as crianças realmente sofrem com picadas, uma dó.

www.atelierartedecor.blogspot.com

Karin disse...

Oiii...
Nossa... seus filhos devem sofrer um bocado, que saco hein. Que preocupação, adorei você ter compartilhado conosco essas informações, com certeza não é apenas os seus filhos que sofrem com esses maleditos...

Meu de vez em quando é picado, mas passo um Gel de Aloe Vera da Herbalife, não é muito caro, e é muito eficaz... resolve!

Qualquer coisa dá um alo lá no blog se te interessar.

Beijos

Karin
www.mamaeecia.com.br

Roberta disse...

Oie...
Tem selinho para você no meu blog...
beijos